sexta-feira, 1 de novembro de 2013

EaD com Neurismar Torres #16 - Censo EaD – Brasil/2012


Recebi da Diretora do CETEB fonte inesgotável de informações, para conhecimento e comentários, o belo e substancioso volume do Censo Ead.Br.2012, bilíngue português e inglês, elaborado, publicado e catalogado pela Associação Brasileira de Educação – ABED, que, por meio de um Relatório Analítico da Aprendizagem a Distância no Brasil, apresenta resultados dessa modalidade, as quais, agora, compartilho com vocês.
Graças a ABED, que vem realizando, pela quinta vez, levantamento de dados estatísticos sobre Programas de Aprendizagem a Distância no Brasil, podemos contar com um volume de informações que nos permite conhecer melhor a EaD que desenvolvemos, e, dizer, seguramente, que ela continua crescendo, mesmo sem uma política pública convincente e mesmo policiada por uma legislação que a descaracteriza em seus princípios.

O objetivo da publicação é a de colocar à disposição dos interessados informações quantitativas e qualitativas sobre as atividades de EaD em nosso país.

A ABED fez uso do dizer corrente “Big Data”, existente e relacionado a essa Metodologia de Ensino. Você está se perguntando: “O que é Big Data?” Em linguagem bem simplificada, é a junção de duas palavras que, desde a década de 1960, vem sendo trabalhada cada vez mais pelos profissionais de TI e utilizada tanto pelas crianças, ao manusearem seu iPad, quanto pelas grandes empresas. Constitui-se em um conjunto de soluções tecnológicas capaz de lidar com dados digitais estruturados ou não estruturados, em volumes e rapidez surpreendentes, além do repasse de uma infinidade de informações para a comunidade mundial. Compreenderam? Torna-se fácil quando se educa na área.

A participação no Censo da ABED vem sendo uma atitude colaborativa e voluntária das instituições associadas ou não que desenvolve ações de EaD.

Em 2012 foram convidados, aproximadamente, 2.000 instituições públicas, privadas, ONGs e SNAs de todo o Brasil, sendo a Região Sudeste a que mais acolhe cursos a distância. O desapontamento da ABED foi grande, com as instituições mantidas com recursos governamentais, devido à ausência de respostas ao chamamento da ABED.

Dessas instituições, 326 realizaram o cadastro no próprio Sistema, 275 responderam os três Instrumentos de Pesquisas, criados para desenvolvimento da metodologia definida pela ABED, mas apenas 252 foram considerados válidos.

As instituições participantes, segundo sua natureza jurídica,  foram elencadas como: Ensino Fundamental, Ensino Médio, Educação de Jovens e Adultos (Fundamental e Médio), Técnico-Profissionalizante, Superior (Sequencial, Graduação e                   Pós-Graduação).

Entre os obstáculos enfrentados pelas instituições que oferecem EaD atualmente no Brasil, destacaram-se: a evasão dos aprendizes, a resistência dos educandos à modalidade, os desafios organizacionais da instituição para oferecer EaD e o alto custo para sua produção. O total de cursos oferecidos pelas instituições foi de 9.376, sendo a maioria de cursos autorizados e de cursos livres, estes, no quantitativo de 7.520 (80,2%).

A maior concentração destes cursos, segundo o Censo da ABED, foram concentrados em instituições privadas com fins lucrativos e de grande porte nas regiões Sul (cursos autorizados), Sudeste e Centro-Oeste (cursos livres).

A ampliação das ações educativas a distância é um fato que pode ser demonstrado pelos dados quantitativos levantados. O número de alunos matriculados alcançou um total de 5.772.466 nos níveis de ensino já citados. Destaque-se que a maioria das matrículas ocorreu no Ensino Superior, em cursos autorizados.

No Censo 2012, constatou-se que as matrículas nos cursos Técnicos Profissionalizantes de Nível Médio aumentaram, embora, na opinião dos elaboradores, deste Censo, não haja significado expressivo desse aumento, considerando a duração dos cursos em geral, com carga horária maior que as dos cursos livres.

Além das instituições ouvidas, professores independentes que, além de tutoria, prestam trabalho de consultoria, também participaram do CENSO, o que levou a ABED a repensar o grupo de pesquisa para 2013.

Na listagem de instituições relacionadas, também foram incluídas as que não obtiveram aprovação dos elaboradores, por conter incongruências não corrigidas e com atrasos no encaminhamento à ABED.

O Centro de Ensino Tecnológico de Brasília – CETEB compõe a lista, e, nós, seus colaboradores, ficamos honrados pela participação em uma pesquisa tão importante como a da ABED.

Deixo aqui o meu apelo. "Quando solicitado por órgão interessado em pesquisa, participe. Você estará contribuindo para as possíveis formulações de políticas educacionais tão importantes para o nosso Brasil.”


Até breve.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Poderá gostar de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...