quarta-feira, 19 de março de 2014

É Vero #37 - Dia da Água

22 de março
Dia Mundial da Água


Os noticiários recentes dão-nos informações sobre o excesso de chuvas num canto, a escassez de água noutro e o decorrente (e camuflado) racionamento de água e energia elétrica.

Estamos em março! Mês que celebramos as águas!
Águas que sabemos ser de 70% a 75% de nosso corpo e o equivalente na superfície do planeta Terra. 







O potencial destruidor é o mesmo: tanto em pequenas atitudes e pensamentos do tipo "algumas gotinhas não é desperdício","um pouco não fará falta", "não tem lixeira, jogue na sarjeta" quanto nos assustadores desmatamentos que passam despercebidos aos olhos da sociedade, na utilização de produtos químicos, por produtores rurais, que poluem solos, mananciais e atmosfera. O uso indiscriminado desses produtos extremamente lesivos comprometem a saúde da terra, do ar e da água: tais venenos acabam no subsolo, contaminando lençóis freáticos ou na atmosfera, contaminando as águas da chuva. 






O Dia Mundial da Água, celebrado pela primeira vez em 22/3/1992, tem por objetivo principal estimular a reflexão, conscientização e elaboração de metas que minimizem o problema.

Nesse dia foi criada a “Declaração Universal dos Direitos da Água” (veja aqui: <http://www.cetesb.sp.gov.br/agua/aguas-superficiais/40-Declaracao-Universal-dos-Direitos--da-%C3%81gua>), apresentando medidas e informações que possam despertar a consciência ecológica no mundo para melhor preservação de nossas águas – recurso natural tão valioso para a vida do planeta. 





Não só neste sábado, seu dia, mas em todos os dias do ano, precisamos agir visando à preservação e economia deste nosso bem maior, cuidando de nossas minas, rios, riachos, lagos, cachoeiras.

Se você não sabe como fazer a sua parte, pequenas atitudes responsáveis podem ser as seguintes. 

  • Não jogar lixo em ruas, rios e lagos (o lixo das ruas acabam chegando nos rios através dos bueiros e das galerias pluviais).


  • Não jogue óleo usado no esgoto – recolha-o em vasilhames fechados para reciclar ou colocar no lixo.
  • Reutilizar a água de lavagem de roupas (principalmente a que sai da máquina de lavar), em lavagens domésticas – pisos, calçadas, panos de chão, tapetes. 
  •  Cuidar da manutenção de toda rede hidráulica da casa, para evitar torneiras pingando ou descargas vazando.


  • Economizar água no dia a dia (banho, higiene bucal, lavagem   de roupas, de louças, de casa e calçadas).


  • Sugerir e estimular que a economia de água seja ensinada     no trabalho, na escola, no condomínio.

  • Não desperdiçar água só porque não precisa pagar – em viagens, no trabalho, hotéis, banheiros públicos.


  • Captar e aproveitar água das chuvas para regar plantas (muito melhor que água clorada) e lavar carro.
  • Incentivar a proteção das nascentes e das regiões de mananciais.
  • Difundir ideias ecológicas, principalmente para crianças (principais defensoras do meio ambiente). Veja: <www.xixinobanho.org.br>


A degradação ambiental está tão acelerada que só reconhecemos as estações do ano pela data do calendário.  Já não chove no verão; os invernos chegam fora de hora, não temos mais a expectativa de esperarmos a chegada das frutas do outono; o colorido da primavera passa meteórico a qualquer e inesperada semana.


Um estudo da Universidade Indiana (EUA) mostra medidas domésticas que passam despercebidas pela maioria, mas que ajudam, e muito, a preservar esse nosso importante recurso natural. Veja o exemplo publicado no jornal Correio Braziliense, no dia 12 de março de 2014, no link <http://goo.gl/1feckP>


Enquanto isso, cantemos com alguns de nossos poetas e amantes da natureza,que invocaram pela água e por melhores tempos.

Águas de março – Tom Jobim

Veja inteiro aqui - <http://www.vagalume.com.br/elis-regina/aguas-de-marco.html#ixzz2vxMDoEpq>
É pau, é pedra, é o fim do caminho
É um resto de toco, é um pouco sozinho
É um caco de vidro, é a vida, é o sol

É a noite, é a morte, é o laço, é o anzol

É peroba do campo, o nó da madeira
Caingá candeia, é o Matita-Pereira
É madeira de vento, tombo da ribanceira
É o mistério profundo, é o queira ou não queira

É o vento ventando, é o fim da ladeira

É a viga, é o vão, festa da cumeeira

É a chuva chovendo, é conversa ribeira

Das águas de março, é o fim da canseira

É o pé, é o chão, é a marcha estradeira

Passarinho na mão, pedra de atiradeira

...


É pau, é pedra, é o fim do caminho
É um resto de toco, é um pouco sozinho

É um passo, é uma ponte, é um sapo, é uma rã

É um belo horizonte, é uma febre terçã

São as águas de março fechando o verão

É a promessa de vida no teu coração

...


Planeta Água – Guilherme Arantes


Água que nasce na fonte serena do mundo
E que abre um profundo grotão
Água que faz inocente riacho e deságua na corrente do ribeirão
Águas escuras dos rios que levam a fertilidade ao sertão
Águas que banham aldeias e matam a sede da população
Águas que caem das pedras no véu das cascatas, ronco de trovão
E depois dormem tranquilas no leito dos lagos, no leito dos lagos
Água dos igarapés, onde Iara, a mãe d'água é misteriosa canção
Água que o sol evapora, pro céu vai embora, virar nuvem de algodão
Gotas de água da chuva, alegre arco-íris sobre a plantação
Gotas de água da chuva, tão tristes, são lágrimas na inundação
Águas que movem moinhos são as mesmas águas que encharcam o chão
E sempre voltam humildes pro fundo da terra, pro fundo da terra
Terra, planeta água, Terra, planeta água, Terra, planeta água

...


No Dia Mundial da Água, 22 de março, a Caesb (em Brasília) estará no Parque da Cidade em uma grande ação envolvendo parceiros privados e do governo do DF que oferecerão frutas, barrinhas de cereais e isotônicos, filtro solar e hidratantes ecológicos além de promover um treino de corrida. A Vigilância Ambiental apresentará uma peça de teatro infantil sobre combate à dengue, distribuindo material informativo sobre o tema e outros tantos eventos...











Nenhum comentário:

Postar um comentário

Poderá gostar de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...