sexta-feira, 20 de setembro de 2013

EaD com Neurismar Torres #14: O Tutor Ensina? – Quais seriam suas Funções e seus Papéis?


Fazendo jus ao meu perfil, encontro-me hoje a pensar em Política e História, com letras maiúsculas, antes de iniciar nossa prosa sobre EaD.
O Brasil, precisamente os brasileiros, que continuam a sonhar com um país justo, decepcionam-se com o pronunciamento do Supremo Tribunal Federal – STF pela aceitação dos Embargos Infringentes, dando continuidade ao episódio mais vergonhoso da nossa História – o Mensalão.
Torço agora para que a justiça seja rápida e nos alegre com um final justo. Como Educadora, espero que o STF honre a casa por onde passaram e continuam passando grandes juristas, e efetive a condenação daqueles que vilipendiaram, aviltaram e praticaram roubalheiras em detrimento da nossa combalida Educação e de outros Sistemas, como Saúde, Segurança etc., essenciais para o desenvolvimento do Brasil.

Enfim, deixo registrada minha indignação para talvez, quem sabe, no futuro, o meu reconhecimento à justiça brasileira seja merecido.
Volto agora, em minha lida, ao nosso tema EaD.
Provoquei-os na prosa anterior e pontuei algumas questões que hoje pretendo esclarecer.
Inicio, portanto, afirmando que o Tutor ensina sim, ao contrário do que sustentam os menos informados. O Tutor não só guia, orienta, apoia, como estimula a aprendizagem do aluno, e nisso consiste o seu ensinar.
Segundo Litvim (2001:102), nas intervenções do Tutor de EaD, distinguem-se três dimensões de análise.
•    O Tempo – o Tutor deve possuir a habilidade de aproveitar bem o seu tempo, pois não sabe se o aluno estará presente na próxima tutoria ou se entrará em contato via on-line para consultá-lo.
•    A Oportunidade – como o Tutor não sabe com certeza quanto ao retorno do aluno, ele deve oferecer respostas específicas, aprofundadas quando tem a oportunidade, vez que não sabe se voltará a manter contato com o aluno.
•   O Risco – o Tutor, para não correr o risco de o aluno converter uma compreensão parcial em uma construção errônea, deve aproveitar a oportunidade e o tempo para aprofundar o tema, requerendo da sua parte uma análise rica, flexível sob a perspectiva de tempo, de oportunidade e de risco.
O Tutor não pode esquecer as peculiaridade do ambiente de EaD e reproduzir suas práticas como se fosse um docente de sala convencional. Segundo Hanna (apud ALVES; 2003:37), o Tutor para iniciar algum curso a distância deve:
•   conhecer sua fundamentação pedagógica;
•   determinar sua filosofia de ensino e de aprendizagem;
•   participar de uma equipe de trabalho com diversas especialidades;
•   desenvolver habilidades para o ensino on-line;
•   conhecer seus aprendizes;
•   conhecer o ambiente on-line;
•   dominar os recursos tecnológicos;
•   criar múltiplos espaços de trabalho, de interação e de socialização;
•   estabelecer a dimensão de classe desejável;
•   criar relacionamentos pessoais on-line;
•   desenvolver comunidades de aprendizagem;
•   definir as regras vigentes para as aulas on-line.
O Papel do Tutor de EaD vem sendo repensado, levando-o a uma reflexão sobre a interação, as novas linguagens e os instrumentos de mediação. Necessária se faz a superação da postura de mero transmissor de conhecimento para uma de agente organizador, dinamizador e orientador da construção do conhecimento do aluno.
Para desenvolvimento dos papéis inerentes ao Tutor, quatro áreas exigem tratamento especial. São elas.
•   Área Pedagógica – O Tutor torna-se um facilitador, conduz os alunos de forma livre, permitindo que eles explorem o material didático sem restrições e desenvolvam a metacognição.
•    Área Gerencial – O Tutor será um administrador do tempo, do ritmo, do atingimento dos objetivos e das diretrizes do curso.
•    Área Técnica – O Tutor, consciente de que a sua atuação por meio on-line deve ser diferente da forma tradicional, será um incentivador do uso das tecnologias em favor da aprendizagem.
•    Área Social – O Tutor atua como estimulador das relações humanas dos aprendizes, ajudando-os a trabalhar juntos, mantendo a coesão do grupo.
Gosto da forma como Gutiérrez e Prieto nomearam os Tutores de “Assessores Pedagógicos”, considerando que sua principal função constitui-se em realizar a ligação entre a instituição e o aluno, acompanhando todo o processo, enriquecendo-o com os seus conhecimentos e suas experiências, estabelecendo redes, promovendo reuniões grupais e os avaliando.
O Educador a distância diferencia-se dos demais porque além das qualidades já citadas, também planeja e atua como pedagogo, comunicador e técnico de informática. Compõe a Equipe de Produção de Materiais Didáticos, avalia e aperfeiçoa o seu próprio sistema.
Por isso, o Educador de EaD deve ser valorizado, pois sua grande responsabilidade e a possibilidade do atingimento de um número infinitamente maior de alunos, colocam-no em destaque no âmbito educacional.
Espero, caro leitor, tê-lo convencido de que o Tutor Ensina e MUITO!!!

Um comentário:

  1. Mais uma vez, PARABÉNS Professora Neurismar! Todo tutor deveria ler esse artigo e se organizar como classe para compartilhar experiências ímpares encontradas no seu ofício.

    ResponderExcluir

Poderá gostar de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...